quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Debate sobre currículo real, oculto e prescrito




O QUE É CURRÍCULO?
O currículo constitui o elemento nuclear do processo pedagógico, pois é ele quem viabiliza o processo de ensino e aprendizagem. Sua projeção define o que ensinar, para que ensinar, como ensinar e as formas de avaliação, em estreita colaboração com a didática. De certo modo, o currículo é a expressão da cultura da escola com a sua recriação e desenvolvimento. Ao mesmo tempo em que é um conjunto de princípios e práticas que reflete e recria esta cultura projetando a cultura organizacional que se deseja visando à intervenção e transformação da realidade. Sendo assim, a finalidade do currículo abarca não somente a propagação desta cultura, mas a transformação social. Neste sentido fica claro que o currículo é mais que cronograma das disciplinas, mas um instrumento regado de inspirações ideológicas e políticas.
A maneira pela qual uma sociedade seleciona, classifica, distribui, transmite e avalia os saberes educacionais destinado ao ensino reflete a distribuição do poder em seu interior e a maneira pela qual se encontra ai assegurando o controle social dos comportamentos individuais. (apud Pedra, 1997. P.50)
Esta afirmação expressa, de fato, intenções e práticas sociais que estão por detrás dos currículos. É claro que os moldes curriculares são seleções de saberes e experiências julgadas como necessários a serem incorporados pelos alunos. Mas isso não é um determinante de propagação das intencionalizações políticas e internalizações de significados, que contemplem somente os interesses dos grupos sociais com poder econômico. Pelo fato de buscarmos uma aprendizagem significativa há a necessidade de conquistar uma identidade, portanto há de se fazer uma integração entre o instituído e o instituinte, que é a formalidade pela caracterização.
 
Níveis de currículo: formal, informal ou prescrito e oculto
De acordo com estudos realizados no campo de currículo nas décadas de 60 e 70 constatou-se a existência de vários níveis de currículo dentro do ambiente escolar, a saber, são eles: Currículo formal, currículo informal e currículo oculto. Essa diferenciação comprova que os conhecimentos adquiridos ou não pelos alunos dependem de vários fatores.

Currículo formal ou prescrito 
É conhecido como currículo formal ou oficial. É estruturado por diretrizes normativas prescritas institucionalmente, por exemplo, os Parâmetros Curriculares Nacionais. Este tipo de currículo prevê os perspectivos conteúdos a serem trabalhados nas mais diversas disciplinas. A intencionalidade deste currículo é oferecer ao País uma base nacional comum de educação, destacando uma abertura para a contextualização dos conteúdos, como aponta a LDB 9394/96.
Art. 26. Os currículos do ensino fundamental e médio devem ter uma base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar, por uma parte diversificada, exigida pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e da clientela.
Desta forma está garantido em bases legais o cumprimento de uma das finalidades da lei promover a igualdade e a garantir a equidade para todos os brasileiros sem restrições.

Currículo Real 
É o currículo idealizado pela prática do professor, ou seja, é experimentado é a reação dos alunos ante ao que está sendo aprendido, compreendido e retido pelos mesmos. A característica marcante deste currículo é a contextualização dos conteúdos. São os moldes formais do Currículo formal que tomam vida na sala de sala onde se pode repensar seus conceitos e construir competências de caráter conceitual, procedimental e atitudinal.
 
É o currículo que de fato acontece na sala de aula em decorrência de um projeto pedagógico e um plano de ensino. É a execução de um plano é a efetivação do que foi planejado, menos que neste caminho de planejar e do executar aconteça mudanças, intervenção da própria experiência dos professores, decorrente de seus valores, crenças e significados. (Libâneo, p.172)

Essa metamorfose do conhecimento institucional ao conhecimento vivencial oportuniza a construção do conhecimento gerando, evidentemente, um saber significativo.

Currículo Oculto
É a representação de tudo o que os alunos aprendem pela convivência em meio à convivência e a espontaneidade e o meio a várias práticas, atitudes, comportamentos, gestos, percepção que vigoram no meio social e escolar. O termo oculto significa que ele não está prescrito, não aparece no planejamento, embora se constitua como importante fator na aprendizagem.

O currículo oculto é representado pelas influências que afetam a aprendizagem dos alunos e o trabalho do professor proveniente da experiência cultural, dos valores e significados trazidos pelas pessoas de seu meio social e vivenciado na própria escola, ou seja, das práticas e experiências compartilhadas em escola e na sala de aula, (Libaneo, p. 172).

Portanto o currículo oculto é constituído por todos aqueles aspectos do ambiente escolar que, sem fazer parte do currículo oficial, explícito, contribuem, de forma implícita para aprendizagens sociais relevantes. O que se aprende no currículo oculto são fundamentalmente atitudes, comportamentos, valores e orientações.






Referências Pesquisadas: http://pt.scribd.com/doc/51341093/O-QUE-E-CURRICULO


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário